Além dos propulsores, também as plataformas da marca alemã deverão ficar de lado, depois da integração na PSA.

A PSA chegou à conclusão que as suas fábricas são mais produtivas comparativamente com as da Opel. Além disso, segundo os seus responsáveis, os motores franceses são mais eficientes. Por isso, o grupo PSA decidiu prescindir dos motores oriundos da marca alemã. Essa alteração coloca em perigo cerca de 3 mil postos de trabalho da marca de Rüsselsheim (800 deles alocados ao centro de desenvolvimento e testes que abriu há cerca de um ano, e que envolveu um investimento de 210 milhões de euros).

O responsável de desenvolvimento da PSA, Gilles Le Borgne, disse à Automobilwoche que as plataformas da Opel seguirão o mesmo caminho, com tendência a serem descontinuadas nos próximos anos, com o final do ciclo dos produtos atualmente em comercialização.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes